Quarto Dia do Tour du Mont Blanc – Parte 1

Parte I: insanidade e beleza

O plano para este dia foi ousado: caminhar do Rifugio Bertone, primeiro abrigo acima de Courmayuer (4,2 km depois da cidade) até La Fouly, na Suiça. E ainda pegando a variante pela Tête Le Tronche, Col Sapin e Col Entre Deux Saults, do Rifugio Bertone para o Bonatti, mais de 30km de percurso.

Saímos do Rifugio Bertone, a 1989 mts, às 8h10 e tomamos a variante logo acima. Este foi definitivamente o trecho de paisagens mais espetaculares até agora. Paramos várias vezes no Mont de La Saxe em puro extase.

Se antes tínhamos dúvida se deveriamos pegar esta variante, pelo fato do nosso trajeto ser longo neste dia, lá em cima ficamos felizes pela opção. Devemos ter gastado mais de 30 min só para tirar fotos, nesta parte inicial do trecho.

Seguimos para Tête la Tronche, a 2534 mts, e descemos ao Col Sapin, a 2436, descendo ainda mais para a parte alta do Val Arminaz, a 2100 mts, para subir ao Col Entre Deux Saults a 2524, descer ao Rifugio Bonatti a 2020mts. Gastamos 5h, eu não tinha visto comentários sobre este trecho e só no Bonatti que soube que costuma-se levar 6h. Em certos momentos, voltei a questionar se teria sido mesmo uma boa escolha, mas por fim conclui: bendita ignorância!

Paramos 30min para comer algo e seguimos para o Rifugio Elena, que está a 2067mts.

Além do encantamento com a estrutura e a beleza do Rifugio Bonatti e do Val Ferret e as montanhas logo em frente, tivemos uma feliz surpresa: reencontramos os 2 casais de senhores franceses com que interagimos desde o Bonhomme. Já não esperava encontrá-los mais e no caminho até o Bonatti percebi que mesmo com tantas paisagens o Tour é também marcado pelo encontro com pessoas, uma experiência também coletiva.

Comentários