Pedra do Desengano, Santa Maria Madalena

No terceiro dia de atividade em Madalena, subimos a Pedra do Desengano. A partir do pórtico de entrada, na estradinha em Terras Frias, foram aproximadamente 5km, com subidas íngremes e trechos escorregadios até a porteira mais próxima da entrada da trilha.
Desta vez, consegui passar com meu carro, que não é 4×4, do ponto que travamos na atividade exploratória de novembro de 2018, que fica algumas curvas acima da entrada para a Cachoeira da Cascata. Era uma rampa longa, com trilho de cimento, desta vez seco, mas com curvas acentuadas e inclinação invertida em relação à direção da curva.

Alegria no carro, compartilhada com o Ivison, que dividiu comigo a angústia e a luta para tirar o carro em 2018.  Só que a alegria durou pouco: no trecho seguinte a pickup do Leandro, que ia na frente, patinou e tiveram que tentar 3 vezes até passar em outra rampa, mais inclinada e molhada. Deixamos o meu carro e seguimos na pickup do Leandro.  Foram mais 2km, provavelmente, até a porteira que dá acesso à entrada da trilha e à Estalagem Morumbeca.
Definitivamente, só de 4×4 e de preferência em tempo seco.

Caminhada de nível moderada superior, não muito longa, em torno de 4 km somente para ida e com ganho de elevação em torno de 700m. Fizemos em 3h, em ritmo de moderado a lento e pegando os trechos de costão molhados. O tempo indicado no guia do Parque Estadual do Desengano é de 4h, para grupos de modo geral. O tempo estava fechado no cume com nuvens baixas, sem visibilidade.

 

 

Na volta, paramos para ver a linha da via de escalada Amigos da Onça, no Morro da Represa, que seria uma opção para o dia seguinte. Entretanto, amanheceu com uma leve chuva. Isto somado ao cansaço acumulado e a perspectiva de uma longa e engarrafada viagem de volta nos fez deixar esta via para a próxima incursão à Madalena.

 

 

Nesta parada, na ponte da parte de cima da represa de Tudelândia, passaram por nós os carros com o Blanco, Tatiana, Sandro, Suzana, Sara e as crianças que foram escalar no Fazenda da Barra do Peixe. Diversão também para as crianças, atravessando riacho pelas pedras, subindo um pequeno pasto e brincando na parede.

É a menina ou é a montanha que sorri?

@ Santa Maria Madalena, Rio de Janeiro
@clubeniteroiensedemontanhismo

Comentários