Cordada CNM CET no Morro dos Cabritos

Via Mario Arnaud, D3 5 VI A1 E1, Morro dos Cabritos, Vale dos Frades, Teresópolis

Voltei 8 anos depois. Deixamos o carro às 6h20, chegamos na base às 7h. Começamos a escalar às 7h30. Fomos à francesa até a P6, alternando escalada da P1 até a P3, 3 e 4 de aderência, caminhada até a P4, escalada, caminhada e escalada da P4 até a P8.

Do meio da P6 até a P8 escalada de aderência e micro agarras escondidas por líquens, com lances de IV, com Leandrinho do CET, tio do Vinicius CNM, no meio e Blanco seguindo à francesa, usando só metade da segunda corda. Chegamos na P8 às 9h30. Blanco guiou a horizontal, com final difícil, seguida do diedro, de 3o sup, com o inicio para dedos pequenos, quase cego . Foi até o grampo abaixo da P9. Com grampo no início, o Blanco só colocou um camalot 0.5 em 10m de diedro. Disse que do meio para cima era mais fácil, onde realmente foi IIIsup. Eu tb já achava o início mais forte. Leandrinho e eu, subimos com segurança de cima.

Da P9 até a P12, voltei a guiar fazendo em cada esticão o sistema de guiar chegar na parada e os dois virem juntos, com Blanco subindo à francesa. Vento forte desde a P6. Difícil de manter a postura típica de aderência nas rajadas de vento. Parava e colava o corpo, e 4o grau de aderência/micro agarras comendo solto. Isto nos atrasou. Era quase assim: alguém gritava – Marcelo, o vento diminuiu, vai rápido! Caminhada em terreno sensível da P12 para P13.

Chegamos na base do A1 às 12h10. Guiei a parte vertical do A1, passando pela aquela saída delicada, Blanco a segunda parte. E para minha imensa alegria consegui guiar, gemendo, a 14a enfiada: uma sequência com os 3 lances mais duros da via: uma aderência de IVsup, V em agarrinhas e um diedro com lance de VI. Só não consegui subir no diedro em livre 😞, tive que puxar na costura, pé molhado. Em cima do diedro o último lance em micro agarras, deve ter dado um VI tb.

Chegamos na 15a parada às 15h05. Foram 7h35min de escalada, sofrimento com o vento e felicidade pura no final. Caminhada até o cume. Descemos às 15h50. Após sequência de rapeis entremeados por caminhadas, chegamos de volta à base às 19h10 – total de 11h40min de jornada na via. @ Vale Dos Frades

 

 

Comentários