História do CNM

O Clube Niteroiense de Montanhismo – CNM – surgiu da iniciativa de alguns escaladores de Niterói integrantes da lista de emails da Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro – FEMERJ. Foi indagado na lista se existia algum clube excursionista em Niterói, e diante do fato da inexistência de um, houve a mobilização de montanhistas que procurou a administração do Parque Estadual da Serra da Tiririca – PESET (principal ponto de escalada de Niterói) para apoio e informações e, assim no dia 26 de março de 2003, na Associação Fluminense de Engenharia e Arquitetura – AFEA, ocorreu a primeira reunião, reunindo muitos montanhistas niteroienses interessados na criação do clube.

Com o apoio da FEMERJ, demais clubes e escaladores independentes, o CNM começou a se organizar e tomar forma. Já a partir de 2003, o clube iniciou sua participação nas Aberturas da Temporada de Montanhismo – ATM, evento anual organizado pelos clubes filiados à federação. No início de 2004, começou o primeiro curso de formação de guias de montanha do clube, e instrutores de outros clubes se disponibilizaram a ajudar. Durante este tempo, diversas atividades ocorreram, caminhadas e escaladas em Niterói, no Rio e em outras localidades do estado.

No final de 2004, mais precisamente no dia 20 de novembro, foi realizada a Assembléia Geral de Fundação do CNM. Com esse importante passo, foi aprovado o estatuto e eleita a primeira Diretoria, representada por: Gustavo Muniz (presidente), Alan Marra (vice-presidente), Nise Caldas (tesoureira), Jerônimo dos Santos (diretoria técnica), Alex Figueiredo (diretoria de meio-ambiente) e Atila Barros (diretoria social). Oficializado o clube, mais integrantes passaram a fazer parte, o que permitiu maior representatividade em Niterói.

Em 2005, o CNM assumiu a coordenação do Grupo de Trabalho (GT) Serra da Tiririca, iniciativa da FEMERJ. Com isso, alinhadas à administração do PESET e conduzida pelo Instituto Estadual de Florestas – IEF, várias atividades começaram a ser realizadas visando preservar o meio-ambiente local. Desde então, mutirões de limpeza, plantio de mudas e manutenção de trilhas tem ocorrido regularmente.

No dia 22 de novembro de 2005, um ano após a fundação, mais um momento importante para o CNM. Em Assembléia Geral Extraordinária da FEMERJ, o clube foi aceito pelas demais entidades que compõem a federação como o mais novo filiado. Desta forma, foi inserido efetivamente no contexto da organização do montanhismo estadual e nacional, uma vez que a federação integra a Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada – CBME.

Em maio de 2006, o CNM desenvolveu o site do clube que veio se tornar ferramenta fundamental no agendamento de atividades para um clube que não possuía sede, fazendo com que a distancia física deixasse de ser uma barreira para estreitar os laços entre os seus associados e facilitar a ocorrência das atividades do clube.

Dois anos após a fundação, nova assembléia foi realizada. No dia 2 de dezembro de 2006, foi eleita a diretoria de outro biênio, composta por: Leo Nobre Porto (presidente), Alan Marra (vice-presidente), Rosenda Anjos (tesoureira), Jerônimo dos Santos (diretoria técnica) e Alex Figueiredo (diretoria de meio-ambiente). Renovação importante para a evolução do clube.

Em 4 de dezembro de 2008, nova assembléia foi realizada para eleger a diretoria de outro biênio, composta por: Leandro Pestana (presidente), Alex Figueiredo (vice-presidente), Carlos Penedo (tesoureiro), Ian Will (diretoria técnica) e João Henrique Marques (diretoria de meio-ambiente).

Em dezembro de 2010, nova assembléia foi realizada para eleger a diretoria de outro biênio, composta por: Alex Figueiredo (presidente), Eny Hertz (vice-presidente), Leandro Collares (tesoureiro), Luiz Andrade (diretoria técnica), Ary Cardoso Neto (diretoria de meio-ambiente) e marca a volta diretoria social com Andréa Vivas (diretoria social)

Em assembléia geral, marcada em dezembro de 2012, ocorreu a primeira reeleição de presidente do clube, fazendo com que a diretoria fosse composta por: Alex Figueiredo (presidente), Eny Hertz (vice-presidente), Leandro Collares (tesoureiro), Neuza Ebecken (diretoria de meio-ambiente) e Andréa Vivas (diretoria social). Enquanto que a diretoria técnica foi composta por um conjunto de três pessoas, aonde cada um era responsável por um assunto do clube: Alex Figueiredo (trilha), Eny Hertz (escalada) e Adriano Paz (ciclismo).

No dia 15 de novembro de 2014, ocorreu nova assembléia geral que marcou uma renovação na diretoria do clube, em que pela primeira vez seus membros não participaram da inauguração do clube, formado por: Leandro do Carmo (presidente), Vinicius Araujo (vice-presidente), Leonardo Carmo (tesoureiro), Ary Cardoso Neto (diretoria técnica), Stephanie Maia (diretoria de meio ambiente), Patricia Gregory (diretoria social) e Alexandre Rockert (secretário).

Em fevereiro de 2015, o CNM conseguiu um espaço localizado no interior das dependências do PESET, mediante um acordo firmado entre as partes, no qual o parque cede o espaço chamado NUPIF (logo após a entrada do parque em Itacoatiara) como base de apoio das atividades do clube. O local tem servido como um espaço onde podemos guardar alguns materiais do clube, além de promover cursos, oficinas e encontros que atendam ao CNM.